Conheça Viamão
 
A importância histórica e social de Viamão iniciou-se quando foi sede das primeiras estâncias de criação de gado. Os grandes rebanhos de gado e cavalos que existiam na Campanha do Rio da Prata transitavam por Viamão para serem comercializados em Laguna ( SC). A partir de 1732, o Rio Grande de São Pedro - como era conhecido o RS - passou a atrair colonizadores que se radicaram na região de Viamão.
O município, portanto, foi um dos primeiros núcleos de povoamento do estado ( formado por lagunenses, paulistas, escravos e portugueses).
Só a partir de 1752 chegaram os primeiros casais de imigrantes açorianos, que desembarcaram na região de Itapuã. Esses açorianos são os mesmos que colonizaram a região do Porto dos Casais, atual capital do estado. Além de Porto Alegre, a população de Viamão originou cidades como Santo Amaro, Triunfo, Rio Pardo, Taquari e as cidades do litoral norte. Os habitantes primitivos foram os índios mbyá-guaranis e caigangues. A data de fundação do município é de 14 de setembro de 1741, em cujo ano também foi dado início à construção da Capela Nossa Senhora da Conceição - atual Igreja Matriz de Viamão. O município viveu tempos de glória como Capital. No século 18, a ameaça de invasão castelhana manteve no futuro município a sede administrativa do governo durante quase 10 anos. quase um século depois, a história de repetiu. Os lideres da Revolução Farroupilha escolheram a Capela de Viamão para fundar a Vila Setembrina, uma espécie de sósia revolucionária da Porto Alegre legalista. Chefiando exércitos espanhóis, Pedro Cevallos tomou a freguesia de Rio Grande - sede da capitania - no dia 12 de maio de 1763. Depois de tentar governar de São José do Norte, o comandante Inácio Elói de Madureira transferiu a administração para Viamão.
Os açorianos estavam se estabelecendo no Porto dos Casais, quando Viamão transformou-se na segunda sede da Capitania. O ato foi oficializado em 16 de junho de 1764. Por quase uma década, o povoado se desenvolveu sob a sombra de Portugal. Assim podia ter continuado, não fosse o desejo de um novo governante. Nomeado em 1769, o coronel José Marcelino de Figueiredo se apaixonou por Viamão, mas acabou se casando com Porto dos Casais.
Foi para lá que ele resolveu transferir a capital em 1773. Viamão ficou abandonada e o Porto de Itapuã perdeu importância para o "Porto Alegre" de Nossa Senhora Madre de Deus. Em 1809, a segunda freguesia da Capitania foi absorvida pela atual Capital gaúcha. Foi preciso uma revolução para que a antiga capital voltasse com tudo ao cenário político. Em 1838, Bento Gonçalves da Silva e Domingos José de Anchieta criaram a Vila Setembrina.
Viamão e Triunfo passaram a formar a Comarca Abrilina. Na Vila Setembrina, os revoltosos reuniam as forças na contra-ofensiva dos ataques do governo imperial.
A falta de efetivos para participar dos combates na Campanha gaúcha e a pressão dos exércitos legalistas fez Bento Gonçalves tomar a decisão de retirar-se de Viamão em 5 de Janeiro de 1841. O alinhamento da população nas fileiras farroupilhas era tão forte que a reconquista definitiva só ocorreu em 10 de maio. Daquela data em diante, a cidade que um dia foi capital voltou a ser vila.
Características
Viamão é um município situado a 25 Km da capital do estado do RS, seu perfil econômico é baseado na agropecuária e serviços. O município é o maior da região metropolitana e o quadragésimo sexto do Estado do Rio Grande do Sul em extensão territorial (1.494,2 Km2), sendo 192,3km2 de área urbana e 1.301,9km2 de área rural - com grande potencial para ecoturismo. Sua população é de 226.669 habitantes, estando 93% na zona urbana e 7% na zona rural (IBGE).
Solo e Relevo
Predominam os solos arenosos. Nas planícies surgem os solos com textura variável de arenosa à argilosa. O relevo apresenta morros e grande extensão de planícies e várzeas, ao longo do Rio Gravataí e na região da Laguna dos Patos.
No sentido Nordeste/Sudeste, o município é contornado por morros, abrangendo os distritos do Espigão, Passo da Areia e Itapuã.
No mesmo sentido, aparece planícies e várzeas, conhecidas como "Campos de Viamão". O município é constituído por relevo colinoso. Vegetação: é primitiva, está situada em "Área de Formação Pioneiras Influência Marinha e Fluvio Marinha". Na fisionomia arbústica dominam os gêneros Acácia e Mimosa, além das famílias Solanaceae e Myrtaceae e na herbácia Typha, Cyperus, Juncus e Thala, entre outros.
Altitude
Varia de nível do oceano como mínima até 289m no ponto denominado Morro da Grota, localizado no distrito de Itapuã. A média municipal é de 9m, mas a altitude da sede é de 52m.
Hidrografia
Não possui rio. Seu limite Norte há o Rio Gravataí, com 40m de largura máxima. Ao Sul, é banhado pela Lagoa dos Patos, tendo 50km de suas margens. Arroios como Alexandria, Fiúza, Feijó, Dorneles, Taquara, Estância, Itapuã, Varejão, Gravatá, São Gravatá, importantes pelas microbacias que representam.
Infra-estrutura
O município conta com uma infra-estrutura que possibilita a extensão industrial e comercial. Tem oito agências bancárias; 02 federais; 02 estaduais; 03 privadas e 01 cooperativa.

As principais rodovias são a RS-040 (estrada asfaltada de POA com pista dupla de mesmo sentido; acesso ao centro e às praias do litoral), RS-118(estrada asfaltada que liga Viamão à BR 116 em Sapucaia do Sul, atravessando os municípios de Esteio, Cachoeirinha, Gravataí, Alvorada e à Free-Way.; a BR-290 (freeway) tem acesso a cerca de 5Km do distrito industrial. Os sistemas de telefonia, eletrificação e tratamento de água estão em expansão.
O Aeroporto Internacional Salgado Filho localiza-se a 25 Km do município. A região serrana, ao norte fica a pouco mais de 60 km e o litoral a menos de 100 km. Isso faz de Viamão um excelente local para compra de sítios, chácaras e terrenos por parte de investidores, locais ou mesmo de fora do pais. O município possui ainda, 16 estabelecimentos de ensino pré-escolar, 96 de ensino fundamental, 10 de ensino médio e 1 de ensino superior.
Potencial Mineral

Extraem-se as pedras ornamentais - granito vermelho, para construção civil (pedras de talhe, saibro e brita) e também, argilas para a fabricação de cerâmica vermelha.
As areias próximas à Lagoa dos Patos tem bom potencial para o emprego na fabricação de vidro e esmalto cerâmico.
O subsolo apresenta depósitos de carvão mineral. Existem grandes mananciais de água subterrânea.

Agropecuária
Na produção agrícola o arroz é o principal produto. O município produz também milho, feijão e hortifrutigranjeiros. Na pecuária destacam-se os rebanhos de bovinos de corte e leite e ovinos.
Viamão possui cabanhas de alta qualidade, além de ter a bacia leiteira mais importante da região metropolitana, não só pela produção de leite B e C, mas também por sediar a única usina de leite A do estado.

A piscicultura, em tanques e açudes, é expressiva. A FEPAGRO (Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária) localizada no município, com uma unidade de pesquisa em piscicultura e ervas medicinais atualmente desenvolve, o município, programas fomentando a agricultura ecológica e o plantio de ervas medicinais.

Turismo
Viamão possui áreas de lazer náutico e lazer junto à natureza. No centro da cidade, encontram-se edificações antigas de arquitetura colonial portuguesa, tendo como marco a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, um dos raros monumentos do barroco brasileiro no RS. O Autódromo Internacional de Viamão (Tarumã) é um dos mais importantes do país. Recentemente, além das pistas de automobilismo, foi reconstruído o Kartódromo.
Entre os diversos locais para visitação e lazer destacam-se a Quinta da Estância Grande, Floresta Encantada Vô Rangel, Cavalo & Movimento - Passeios Ecológicos, Farol de Itapuã - Turismo Náutico Ltda. que oferece passeios de barco pela região acompanhados de guias, entre tantos outros. Os hotéis fazendas, junto a lagoas e bosques nativos são um atrativo para os visitantes do município.

Os eventos mais importantes são o Natal Mágico, o Carnaval Participativo, Festa da Nossa Senhora dos Navegantes, o Arraial da Alegria (junho e julho) o Rodeio Crioulo do ETA (abril), Semana Farroupilha (setembro), etc.
O artesanato, mais expressivo, provém das tecelãs, das famosas bombacheiras, os trançadores de couro e a elaboração artesanal de gêneros alimentícios como a farinha de mandioca (Tafonas) e a cachaça (alambiques). Antigamente, a região de Itapuã foi uma das grandes produtoras de farinha de mandioca e polvilho em nosso estado.

Itapuã

Em 1752, imigrantes portugueses vindos das Ilhas dos Açores e Madeira desembarcaram às margens da Laguna dos Patos e Lago Guaíba, numa região que destacava-se das demais pelos seus morros de pedras, ilhas, baías, praias, matas e campos de criação, denominada pelos guaranis de ITA - ponta e PUÃ - pedra, Ponta de Pedra.
Com o aumento da navegação, em 1858, foi construído o Farol de Itapuã para sinalizar os perigos locais na divisão das águas da Lagoa dos Patos e Rio Guaíba. A região de Itapuã, belíssima por natureza, caracteriza-se pela produção rural e pesca artesanal.
Destacam-se o Hospital Colônia e a Colônia Japonesa - maior produtora de hortaliças folhosas da região metropolitana.
Itapuã mantém até hoje a sua beleza natural preservada, O Parque Estadual de Itapuã agrupa todos os atrativos naturais, possui 5560 hectares e pode ser visitado de quarta a domingo, dispondo de vestiários/banheiros, churrasqueiras, água potável nos quiosques, trilhas ecológicas.